Dois Livros sobre a China no período de Mao que eu indico.

Dois Livros sobre a China no período de Mao que eu indico.

A curiosidade de conhecer um pouco mais sobre a história da China, principalmente no período de Mao Tsé Tung, me fez encontrar e ler dois livros distintos e ao mesmo tempo complementares de uma época tão profunda e conturbada que foi a Revolução Cultural Chinesa.

Ao mesmo tempo em que contam um período da história, também é uma leitura que te faz pensar sobre oportunidades, sofrimento, perseverança, resiliência e muito amor por alguém mais importante que você mesmo.

No período de Mao Tsé Tung eram apenas consideradas pessoas honradas, os agricultores, trabalhadores das indústrias e militares. O restante das profissões e principalmente professores, doutores eram culpados pela pobreza existente no país.

Em “Adeus China – O Último Bailarino de Mao”, temos a visão da história contada pelas lembranças de um menino, filho de agricultores, já na “Teria do Bambu” a história é mostrada por uma menina, de família rica e culta.

  • ADEUS CHINA – O ÚLTIMO BAILARINO DE MAO.

É a autobiografia de Li Cunxin, um bailarino de sucesso Internacional que aos 11 anos, foi escolhido para um treinamento rigoroso que elegeu aqueles que foram à Beijing estudar balé na escola de artes conduzida por Madame Mao, parte da Revolução Cultural, projeto de formação da China de Mao Tsé Tung.

Quando a gente pensa na ditadura Chinesa, imagina que ela aconteceu há muito tempo atrás, mas ao ler O último bailarino de Mao, você descobre que Li Cunxin nasceu em 1961 e te faz refletir que quando ele foi criança e passava por tanta fome e provação, muitos de nós brincávamos nas ruas sem asfalto no nosso Brasil, um país pobre na época, mas livre.

Li Cunxin percebeu muito jovem que precisaria agarrar aquela oportunidade que lhe fora dada, e precisava se destacar para conseguir um futuro melhor aos seus familiares. Por meio de um intercâmbio cultural, ingressou numa companhia de balé americana e descobriu que a China não era tão privilegiada como ele havia aprendido a acreditar e que havia lugares no mundo com comida farta, pessoas felizes e livres. Em busca dessa liberdade e uma vida nova, ele luta para ficar nos Estados Unidos.

Nesse livro você conhecerá todo o sofrimento, que também os trabalhadores agrícolas passaram.

Um dos momentos fortes do livro é quando ele conta que o governo passava e recolhia toda a colheita de amendoim que seu pai havia plantado, nada podia ficar com a família, tudo tinha que ser dado ao partido.

Então sua mãe pedia para que ele e seus irmãos corressem até a plantação e procurassem algum amendoim que tivesse por acaso caído no caminho, o que nunca existia.

De repente seu irmão vê um rato e toda a criançada corre atrás do bicho, que entra em um buraco na terra, seu irmão começa a cavar como louco até que encontra o lugar onde o rato escondia os amendoins que roubava da plantação. A molecada volta para casa feliz por terem encontrado alguma sobra do amendoim.

Li Cunxin fala: “Foi um tempo em que as crianças disputavam a comida com os ratos”.

  • A TEORIA DO BAMBU

Essa é a história de Ping Fu, a história de uma vida em dois mundos.

Dois mundos, pois o livro vai e volta no tempo.

Quando criança na China Comunista, uma lição de vida e coragem (inacreditáveis para uma menina de oito anos) e como adulta no Templo do Capitalismo, Estados Unidos, redescobrimos o que é foco, trabalho e valores profundos.

Nascida às vésperas da Revolução Cultural da China, Ping Fu foi separada de sua família aos oito anos. Cresceu em meio a ritos de humilhação praticados pela Guarda Vermelha de Mao, e aos 25 anos foi forçada a deixar seu país natal para buscar uma nova vida nos Estados Unidos.

Falando apenas três palavras em inglês e seguindo os ensinamentos taoístas aprendidos na infância, Ping Fu chegou aos Estados Unidos e menos de dez anos depois já era uma empresária bem-sucedida. Aos 38 anos fundou a Geomagic, empresa que é hoje a maior fornecedora de softwares 3D para a criação de modelos digitais de objetos reais e foi eleita como a Empresária do Ano em 2005 pela revista Inc.

A teoria do bambu é o relato de uma jornada quase inacreditável. Um verdadeiro tributo à coragem de uma mulher em face da crueldade e uma valiosa lição sobre o poder da resiliência e dos verdadeiros valores.

“O bambu é flexível: dobra com o vento, mas nunca quebra, pois é capaz de se adaptar a qualquer circunstância. É um sinal de resiliência. Significa que somos capazes de nos recuperar dos momentos mais difíceis.”

 “Como uma Cordilheira, a vida oferece visões surpreendentes a cada curva. Embora as paisagens mais belas sejam vistas dos picos, são os vales que oferecem as maiores oportunidades de crescimento e desenvolvimento.”

 É isso aí ! Boa Leitura, vocês não vão se arrepender.

Beijos e até a próxima Dica.

 

 

 

Anúncios

5 comentários em “Dois Livros sobre a China no período de Mao que eu indico.

  1. Adorei o prefácio criado por você, com certeza minhas férias conta com esses títulos também.
    Eu assisti a pouco tempo o filme do Último Bailarino de Mao, foi lindo e como sempre os livros são sempre mais encantadores e completos.
    Obrigada por mais essa dica.
    Beijos

    Curtir

  2. Adorei o prefácio criado por você, com certeza minhas férias contam com esses títulos também.
    Eu assisti a pouco tempo o filme do Último Bailarino de Mao, foi lindo e como sempre os livros são sempre mais encantadores e completos.
    Obrigada por mais essa dica.
    Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s