As consequências da Política do Filho único na China. – Parte I.

As consequências da Política do Filho único na China. – Parte I.

Algumas pessoas perguntam se a política do filho único ainda existe na China.

Lançada pelo governo chinês no fim da década de 1970, mais precisamente em 1979, consistia numa lei segundo a qual era proibido, a qualquer casal, ter mais de um filho.

Casais que tivessem mais de um filho eram punidos com severas multas. Em outubro de 2015, no entanto, o governo chinês aboliu a lei por conta do envelhecimento da população, ao passar a permitir até dois filhos por família.

Atualmente se o primeiro filho for homem os casais param por aí, mas se for mulher, o casal tenta mais um. Isso porque na cultura chinesa, são os filhos homens responsáveis pelo cuidado dos pais na velhice e a mulher ao casar-se, assina um termo onde promete cuidar dos sogros.

Se essa cultura é forte nos dias de hoje, imaginem na década de 70.

Com a política do filho único naquela época, a prioridade máxima era ter filho “Homem” (não é pleonasmo), daí muitos casos relatados de aborto e abandono de meninas.

Atualmente as mulheres chinesas são proibidas de saber o sexo do bebe na gravidez, pois por mais absurdo que pareça ainda hoje muitas abortam se souberem que é mulher.

Em 18 de Abril de 2018, o Washington Post publicou uma interessante reportagem sobre as consequências atuais da política do filho único na China, a qual faço um breve resumo nesse post e no próximo.

O que fez com que um dos maiores países do mundo criasse um desiquilíbrio de gênero em escala continental foi uma combinação de cultura, ações governamentais e moderna tecnologia médica.

São 34 milhões de homens a mais que mulheres na China.

É o equivalente a quase toda a população da Califórnia ou Polônia que nunca namoraram ou tiveram uma relação sexual.

O que a China e o Mundo começam a presenciar são milhões de homens que não se casam e um risco para o futuro da sociedade.

A consequência da política iniciada na década de 70 em uma cultura extremamente enraizada veio com o tempo e atualmente se vê um grande desiquilíbrio.

Mas o efeito disso ainda não atingiu seu pico. A maior diferença entre homens e mulheres em idade de casar, definida aqui entre 15 e 29 anos, ocorrerá nas próximas décadas, à medida que os bebês da década passada crescerem.

E considerando a grande quantidade de homens mais velhos e mais jovens que disputam o mesmo pequeno grupo de jovens mulheres, a diferença torna-se um abismo.

As consequências já são notadas no mercado de trabalho, no aumento da solidão, na redução do consumo e no aumento da prostituição.

Os principais aspectos que mostram como o desiquilíbrio tem afetado a sociedade são:

  • Vida Estagnada:

Entre os homens, a solidão e a depressão são comuns. Algumas províncias estão se esvaziando. Os homens estão aprendendo a cozinhar e a realizar outras tarefas a muito relegadas às mulheres. O crescente número de homens que não conseguem encontrar noivas, teve um impacto profundo nos antigos ritmos da vida familiar. Filhos adultos vivem com suas mães e em alguns casos, com as avós.

Há uma “crise de masculinidade” se eles permanecem solteiros. A função básica de um homem na sociedade rural chinesa é ter uma família e cuidar dessa família.

”Se eles não casam são marginalizados”.

Muitos homens chineses acreditam que eles não têm muito valor na sociedade se não casarem.

“As pessoas pensam: – Qual o problema desse homem que não se casa? O que falta nele?”.

  • Mercado de Trabalho:

O desiquilíbrio entre a mão de obra feminina e masculina é sentida em todas as empresas, além de jovens meninos que foram educados por pais e avós como verdadeiros imperadores em suas famílias estão iniciando suas vidas profissionais onde o trabalho em equipe e a hierarquia é muito valorizada.

 

Continua no próximo post….

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s