Novos amigos que chegam. Velhos amigos que vão embora.

Certa vez ouvi alguém falar que quando você mora fora do seu país, você deve fazer amigos.

Descobri a verdade dessa afirmação, nesses quase dois anos morando aqui.

Os laços de amizade, quando você é expatriado, parecem estar mais disponíveis para serem criados.

Você conhece pessoas com histórias de vida muitas vezes semelhante a sua e às vezes totalmente diferente, mas sempre enriquecedoras.

Não sei se é por que estamos na China, mas tanto para o expatriado como para o imigrante, o sentimento de união é bem forte e não sinto isso apenas entre brasileiros, mas entre toda a comunidade estrangeira.

Há uma sutil diferença entre o Expatriado e o Imigrante.

O expatriado é um profissional enviado por uma empresa multinacional para prestar serviços em outro país por um tempo pré-determinado, passível de ser prorrogado ou não. Desta forma o contrato de trabalho pode continuar vinculado ao país de origem, assim como todos os benefícios trabalhistas (INSS, FGTS, Previdência privada…) e o visto de residência e/ou permanência em outro país está ligado a esse contrato de trabalho. Acabando o período do contrato de expatriado, sem a renovação, o visto de residência é também cancelado. É comum um expatriado mudar muito de país.

Já o imigrante é aquele que sai de seu país de origem e decide recomeçar sua vida em outro país, por conta própria. Geralmente se casam com locais e se integram totalmente a nova cultura.

A maioria dos expatriados vai para o país de destino com um contrato pré-definido, em geral de três anos, podendo ser prorrogado ou reduzido claro. A prorrogação do contrato por mais algum tempo depende da política de cada empresa, mas na maioria, o máximo é cinco anos, pois a partir daí, você tem que se tornar um funcionário local, ou seja, sem todos os allowances, que são os subsídios ao salário para a vida de expatriado. Ficando, você se torna um imigrante legalmente estabelecido.

Ao final do terceiro ano, seu contrato pode ser prorrogado, você pode mudar para outro país, retornar ao seu país de origem ou ser despedido, claro! Mas essas alternativas não lhe são entregues assim tão fáceis, muitas variáveis estão envolvidas, como: disponibilidade de realocação em outra unidade, a existência do seu atual cargo em outro país, seu desempenho, custo de toda essa mudança.

Enfim ninguém tem a garantia da volta.

Seu emprego no Brasil (ou seja, da onde você for) não fica lá te esperando!!!

O expatriado pode mudar muito, mas quer um dia voltar para seu país de origem, o imigrante não.

A China não é um país onde você possa ficar ilegalmente, é bastante arriscado. Apesar de claro existirem corajosos que vem com visto de turista, ficam 90 dias, saem do país por alguns dias e retornam com o mesmo visto de turista e assim vão levando a vida. O visto de turista tem validade por cinco anos, podendo permanecer por 90 dias.

Independente da origem ou se está aqui como expatriado ou imigrante, todos se ajudam muito.

Essa ajuda vem de várias formas, com troca de informações, confraternizações e mesmo em momentos difíceis, na verdade, todos estão longe de suas famílias de suas casas e os sentimentos são os mesmos.

Em geral no começo do ano, uma nova leva de brasileiros chega e outros vão embora e o mesmo acontece em Julho, quando os europeus e americanos retornam para seus países de origem ou vão para outra expatriação.

E nesse vai e vem muitos amigos vão embora antes de você, é sempre uma mistura de sentimento, tanto para quem vai como para quem fica.

São pessoas de todos os lugares do mundo e mesmo sem ser dito, fica a pergunta:

– Será que vamos voltar a nos rever um dia?

Antoine de Saint-Exupéry escreveu certa vez:

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós.

Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.”

Aos amigos que fizemos aqui e já foram embora:

Ela e Jerzy – Polônia; Antonela e Carlo – Itália; Roman e Petra– Republica Tcheca; Eduardo e Karina – Brasil.

Zài Jiàn.

Anúncios

4 comentários em “Novos amigos que chegam. Velhos amigos que vão embora.

  1. Ahh!!! Já bateu saudades só de ler esse texto (excelente, por sinal). Vc disse tudo. E o melhor de cada experiência dessa, sem dúvidas, são os amigos que fazemos e que tornam tudo mais divertido, mais leve e mais fácil. Obrigada pelos momentos alegres juntos! Beijos em todos que ainda estão por aí e que possamos nos encontrar de novo. =)

    Curtir

  2. Para nós que temos família nessas condições, criamos também um espaço no nosso coração para os que acolhem, dividem, alegram, aquecem o terrível inverno e superam obstaculos ao lado dos nossos amores enquanto estamo no nosso país de origem.

    Curtir

  3. Si e Paulo, Às vezes fico pensando o que é mais difícil esperar-se pela volta de quem se ama ou a pessoa amada pela partida. Em ambos os casos temos na intermediação o tempo, implacável e cruel decidindo por nós. Pois as coisas devem acontecer no tempo certo. Beijos a ambos: Papai e Mamãe.

    Curtir

  4. Eu só sei que nessas transições da vida, de fim e recomeço, de morte e renascimento, a gente sempre evolui. A transição é um caminho para o desenvolvimento pessoal!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s