Consciência e Flexibilidade a chave do equilíbrio na vida expatriada.

Consciência e Flexibilidade a chave do equilíbrio na vida expatriada.

Participei de um workshop ministrado por Gregor Matsuda Tavares – Conscious Leadership Coach, sobre  “Consciência e Flexibilidade a chave do equilíbrio na vida expatriada”.

Achei a explanação tão interessante e verdadeira que resolvi dividir com vocês.

De acordo com vários estudos comportamentais realizados com expatriados em relação aos seus sentimentos com o novo país, são definidas Cinco fases, as quais a maioria dos expatriados enfrenta.

Independentemente do local onde a pessoa vá morar (China, Alemanha, Dubai, Estados Unidos ou qualquer outro país) essas fases ocorrem e se dá devido ao choque cultural.

Elas não acontecem de forma determinada e sequencial, com dia para começar e dia para acabar, na verdade, para algumas pessoas a sequência é aleatória, para outras, algumas fases são mais prolongadas, tudo depende da intensidade do Choque cultural e obviamente da característica de cada ser humano. Mas de uma forma ou de outra, todos passam por essas fases.

São elas:

  • Lua de mel.
  • Rejeição.
  • Regressão.
  • Recuperação.
  • Independência.
  1. Na primeira fase a Novidade, Curiosidade, Sensação de Euforia e Excitação. Tudo é novo, interessante e encantador. Sempre há uma comparação com o país de origem, porém há uma tendência a valorizar o novo país. Ainda nos sentimos próximo de tudo que é familiar no país de origem e a sensação é de férias prolongadas. Por incrível que possa parecer, conheci pessoas que estão aqui na China há 14 anos e me disseram que desde o dia que chegaram até hoje, vivem nessa fase. Que Sorte!!
  2. Na fase da Rejeição há o sentimento de confusão e isolamento, as coisas não parecem tão novas e interessantes assim (como acontecia na primeira fase) e percebemos que nossa família e amigos não estão tão próximos e acessíveis. É a fase do Choque e muitas pessoas entram em depressão. É um período bem duro e a meu ver o mais difícil.
  3.  Na terceira fase há uma Recusa a aceitar diferenças, tudo o incomoda você se torna frustrado e hostil. Você se Pergunta por que tomou a decisão de mudar de país. Nessa fase você bate de frente com tudo, tanto na sua vida profissional como no seu momento de descanso e como resultado você vai cansar, o corpo sente e muita vez adoece. É nesse momento que muitos expatriados desistem e voltam para o seu país de origem. Infelizmente devido a grande diferença cultural, essa fase é bastante frequente aqui na China.
  4.  Na Recuperação, começa o Processo de aceitação das diferenças e você sente que pode conviver com elas. Aumenta a sua da autoconfiança e um menor isolamento, você se reinventa, aparecem novos grupos sociais, novos e eternos amigos são feitos e surge uma maior capacidade de lidar com problemas. É o que chamam de aculturação, o expatriado aprende a funcionar nas novas condições e nas novas regras.
  5.  Na fase mais madura a Independência, a estabilidade mental e a apreciação tanto das diferenças quanto das semelhanças da nova cultura. Começamos a enxergar com uma nova visão mais realista, começamos a sentir o novo país como nossa casa, o choque cultural já estará em menor grau. Os sentimentos podem permanecer negativos com a nova cultura, porém serão aceitos, assim como o expatriado poderá se sentir ainda melhor no novo país e colocar-se em dúvidas quanto ao seu regresso.

Seria fácil se essas fases fossem nessa sequência e com data marcada para começar e terminar; mas como o ser humano é bastante complexo, isso não acontece.

Algumas pessoas vivem apenas uma delas. Outras já começam na fase 3 – a Recusa, e para muitas esse ciclo vai e vêm várias vezes, até encontrarem um equilíbrio ou não.

O fato de você ter CONSCIÊNCIA que essas fases acontecem na vida de todos os expatriados, torna mais leve o seu dia a dia e o começo da sua nova vida no novo país.

Assim como a preparação antecipada do expatriado e de sua família sobre o novo ambiente e a nova cultura é extremamente importante e ajuda a reduzir o tempo do choque cultural, o bem estar físico e psíquico, sua produtividade e felicidade.

Quanto a FLEXIBILIDADE, Gregor faz uma analogia com o Bambu, ele enverga durante todo o inverno, devido à força da neve, mas quando chega a primavera o bambu retorna majestoso ao seu centro, isso por que suas raízes são profundas e fortes. Vale a pena também nos lembrarmos disso. Nossas raízes são profundas e se sua opção foi viver como expatriado, mesmo que seja por um curto tempo, lembre-se nos momentos difíceis, que você voltará muito mais forte ao seu Equilíbrio.

Beijos e até a próxima.

 

Anúncios

Fim da Primeira Etapa China

Fim da Primeira Etapa China.

O Tempo realmente voa e já estamos em Novembro.

Comecei minha Aventura China em Outubro de 2016, com muitas dúvidas, inseguranças, mas já se foi o primeiro ano de China e agora estou voltando para casa no Brasil.

O Paulo fica até meados de Dezembro, quando então, ele também volta depois de um ano longe de casa.

Ficaremos no Brasil até o meio de janeiro e aí retornamos para nossa Segunda Etapa.

Apesar da saudades dos meus filhos, pais, irmãs, cunhados, sobrinhos, família e amigos. Foi um ano de muito aprendizado e com certeza muito crescimento.

Quando você vive fora de seu país, você passa a enxergar o mundo de uma forma diferente.

Tudo se torna possível e perto !!

Um dos meus objetivos, que era montar o blog, foi cumprido.

O xinachina.com.br nasceu do zero, sem ter a mínima noção de nada, mas bons posts foram surgindo e o prazer de escrever e compartilhar toda a experiência que estava vivendo foi crescendo a cada semana.

Foram até hoje 48 post, sendo:

  • 11 sobre Lugares na China.
  • 22 sobre Curiosidades.
  • 04 sobre outros países na Ásia.
  • e 11 sobre Shanghai.

Mas para quem me conhece, sabe que eu não deixo as coisas pela metade; então mesmo estando no Brasil, durante os próximos meses, já tenho os assuntos que irei contar para vocês semanalmente.

São temas que de alguma forma eu entrei em contato durante esse tempo aqui na China e fui coletando informações, não serão postados nessa sequencia, mas já vou compartilhar com vocês:

  1. Pulseira de Contas – Você sabe para que serve?
  2. Baguá – Invenção e Tradição chinesa.
  3. Choque Cultural – Parte III.
  4. A Chave do equilíbrio na Vida Expatriada – Você sabe quais são as fases que todo o expatriado passa?
  5. O que é Wechat – Não vivo mais sem ele !!
  6. Livro China na Minha Vida de Christine Marote.
  7. Invenções chinesas – Depois nós falamos que eles é que copiam tudo !!!
  8. Dois super Livros – A Teoria do Bambu e o Último bailarino de Mao.
  9. Ano Novo Chinês.
  10. Segurança na China. O item mais apreciado pelos brasileiros que moram aqui.
  11. 2018 – Ano do Cachorro.

Assim fecho o ciclo 2017, mas em 2018, estarei aqui de volta, com mais coisas para contar, lugares novos para conhecer e muito mais para aprender.

Zài jìan.

Estudar ou Não Estudar Mandarim ?

Estudar ou Não estudar Mandarim?

Depois desses oito meses de China estudando mandarim e conhecendo um pouco a cultura e a forma de ser dos chineses; acho
que posso dar minha opinião sobre se devemos investir ou não no estudo dessa língua, para nós e para nossos filhos.

De acordo com uma pesquisa feita em 2017 pelo Map Porn https://m.imgur.com/r/MapPorn/aZdPxKd  existem 7.102 línguas
conhecidas no Mundo, sendo que:

O Chinês é falado por aproximadamente 1 bilhão e 300 milhões de pessoas.
O Espanhol por aproximadamente 427 milhões de pessoas.
O Inglês por aproximadamente 339 milhões de pessoas.
E o Português por aproximadamente 290 milhões de pessoas.

Bom então considerando que o Mandarim é a língua mais falada no mundo, se eu não falar, estarei ficando para trás?  Será?

Atualmente as línguas mais estudadas no mundo (esse é um dado bastante difícil de coletar), baseado em resultados de grandes universidades, são:

  • Inglês
  • Francês
  • Espanhol
  • Italiano
  • Chinês
  • Japonês
  • Alemão
Países e estudo das línguas – Observe que ainda não encontra-se registro do Mandarim.

Definitivamente, o Inglês é o primeiro entre os idiomas mais influentes e estudados no mundo. Para isso, nenhum governo precisou investir para promover o idioma no mundo, pois alguns fenômenos o promovem quase que naturalmente: o uso da internet; o poder econômico, a simplicidade (pelo menos, do ponto de vista ocidental) do vocabulário, da estrutura e da gramática do idioma.

O Francês é o idioma que tem o maior número de falantes como segunda língua.

O Espanhol encontra-se em uma fase ascendente no mundo atual, graças a sua expansão nos EUA e ao crescimento econômico do continente latino-americano. Ele continuará expandindo a sua posição no mundo.

Os chineses e os japoneses, duas grandes civilizações, não têm muito interesse em promover suas línguas; acreditam que as suas culturas e idiomas são complexas demais para que um estrangeiro possa chegar a dominá-los.

Nesse ponto de vista e sob todos os outros, obviamente o Inglês é uma língua obrigatória, mas infelizmente em nosso país a grande maioria da população não domina nem o Português, pensar em duas ou três línguas a mais é uma realidade ainda para poucos.

Ouve-se muito falar que a China irá tornar-se a maior potência mundial, economicamente falando, isso faz com que o Mercado Internacional esteja sempre com a atenção voltada ao país.

Hoje é impossível uma grande empresa não ter uma filial na China, é um mercado que ninguém quer ou pode desprezar.

Da mesma forma a China é o maior comprador de produtos do Brasil. Com isso surgem oportunidades de empresas  brasileiras que mantêm escritórios na Ásia, assim como multinacionais que oferecem posições no mercado de trabalho.

Como via de mão dupla, os chineses estão comprando muitas empresas no Brasil ou montando seus negócios lá; com as privatizações que estão e irão acontecer em nosso país, muitas empresas hoje públicas, serão adquiridas por grupos chineses.

Claro se você conhece o Mandarim, leva vantagem, por questões culturais (você saberá como se comportar, o que é tradição, quais são os principais hábitos) esse fator estreita laços de confiança.

Os chineses preferem fechar negócios falando a língua materna.

Mas o que é importante priorizar:

  • Para as crianças e adolescentes até 18 anos, uma fase da vida que são direcionados pelos pais e obviamente dependerá da disponibilidade financeira para bancar todo esse investimento, acredito que o mandarim possa valer a pena, como uma terceira língua, se vier depois do Inglês e do espanhol, os benefícios do desenvolvimento cerebral é muito interessante e ficará para a vida.
  • Para quem está no começo da carreira ou na faculdade, digamos entre 18 e 35 anos, acredito que aprender mandarim faça sentido se sua profissão tiver alguma relação com o comércio/ serviço exterior ou admire a cultura milenar da China. Se você é um estudante de medicina, enfermagem, odonto ou psicologia e não tem nenhum interesse em desenvolver-se na linha da Medicina Oriental, acho que não faz sentido algum estudar mandarim.
  • Para quem tem mais do que 35 anos, MEU CASO, estudar mandarim valerá a pena se:
  1. Você mora na China. Como morar na China e não falar nem um pouquinho de chinês???
  2. Se você quiser desenvolver uma parte do cérebro que trabalha com as línguas tonais (explico abaixo). Excelente para evitar Alzheimer.
  3. Admira a cultura, medicina e tradições Chinesas.
  4. Quer mudar totalmente de vida e partir para uma nova experiência.

Mandarim é difícil?

Por incrível que pareça a parte gramatical é bem fácil, não existe tempo verbal, gênero nem grau, porém é uma língua tonal e isso Piora muito as coisas.

E o que é isso?

Todo o idioma que a entonação faça parte da estrutura, ou seja, uma mesma palavra pode assumir diferentes significados, dependendo do tom de suas sílabas, é uma língua tonal.

A língua tonal mais conhecida é o chinês, mas idiomas do tipo podem ser encontrados também em outros países da Ásia, na África e em tribos indígenas da Amazônia.

O português, assim como o inglês, o espanhol e a maior parte das línguas europeias são línguas não tonais.

Ou seja, estamos acostumados com línguas não tonais, quando você passa a estudar uma língua tonal, terá que desenvolver uma parte do cérebro que a gente não usa muito.

Aí é querer participar do American Ninja Warrior, levantando 2 kg de peso por dia. Você precisará trabalhar muito!!!! Entenda aqui “ESTUDAR MUUUUITO”.

Se você muda a entonação, muda o significo da palavra, ex.:

ma 嘛 (básico, sem tom) = usa no final da frase para pergunta.

mā 妈 (1º tom) é um tom flat = mãe.

má麻 (2º tom) é um tom subindo, tipo nosso tá = cânhamo.

mǎ 马 (3º tom) sobe e desce = cavalo.

mà 骂(4º tom) tom seco meio bravo = ruína, maldição.

Daí a maior dificuldade em falar e ser entendido e ouvir e compreender.

Veja como nosso cérebro trabalha com as línguas tonais, existe mais conexões do cérebro que nas não tonais.

Os caracteres são completamente diferentes, e isso é outro problema, pois você vai aprender uma língua, onde a escrita é uma habilidade a parte.

Aprender Mandarim não é mais algo tão distante. Muitos professores postam vídeos didáticos na internet para ajudar quem quer aprender o idioma. Eu estudo aqui com professor particular e estou fazendo um curso pela internet aí do Brasil, que Super Indico e se chama “PULA MURALHA” http://cursos.pulamuralha.com.br/

Resumindo a história, pessoas e situações diferentes requerem respostas e ações diferentes.

Estudar ou incentivar seu filho a estudar Mandarim, dependerá muito dos, seus/deles, objetivos e desejos.

Seja ele qual for o mais importante no estudo de qualquer língua e de qualquer outra escolha é dedicação, estarmos a fim e termos interesse.

No caso do Mandarim essa dedicação e interesse tem que ser dobrada.

E você? Já pensou em estudar uma língua só por prazer ? Qual língua você precisa estudar e qual você gostaria muito ?

Deixe aqui seu comentário.

Zài Jiàn. Tchau. Bye. Au Revoir.Hasta la Vista. Ciao. Sayonara !!!!

Cheguei em Janeiro de 2017. Oito Meses de China e Aí ???

CHEGUEI EM JANEIRO DE 2017 –  OITO MESES DE CHINA E AÍ ???

Quando decidimos vir para China, no final do ano passado, um frio na barriga instalou-se em mim e eu não tinha a menor ideia de como seria minha vida aqui.

Sabia apenas que estava deixando uma casa linda, meus filhos adultos, mas meus filhos, minha família, minha horta, meu jardim e meu trabalho; para estar do lado do meu marido e ajudá-lo a enfrentar o grande desafio de nossas vidas e talvez tentar tornar mais suave o nosso dia a dia.

Algumas pessoas falaram que se estivessem no meu lugar não aceitariam de jeito nenhum, outras que eu não iria conseguir, mas algumas especiais, como minha mãe e minha amiga Claudia Moreira me disseram que eu deveria estar ao lado do meu marido e sabiam como seria importante minha decisão. Assim como minha irmã Alessandra que me disse no dia que nos despedimos: ” – Si você é mais forte do que imagina.”

No dia de nossa vinda para cá, recebi muitas ligações, mensagens, whatsapp; mas uma foi especial, do meu sobrinho Lucas, entre muitas coisas que ele escreveu, destaco:

“… Independente do local, sempre encontramos uma maneira de nos encontrarmos e a distância não muda os laços de amizades verdadeiras.”

Minha amiga Ana Maria (estudamos juntas na FEI) que faz aniversário no dia 06 de janeiro, quando soube que esse era o dia da minha vinda para China, disse:

“… Dia de Reis e Meu aniversário isso é um bom Presságio.”

São pequenas e simples frases, mas que fazem um bem enorme para a alma !!

 Não preciso nem falar que o dia 06 de janeiro de 2017, foi o dia que mais chorei na vida.

PARTIU CHINA !!!

São muitas coisas para contar desses oito meses de China, acho que vivi intensamente durante esse período.

A primeira coisa que fiz logo que cheguei, foi montar meu blog xinachina e escrever toda a semana sobre algum lugar, comida ou curiosidade que eu estava conhecendo e isso foi e está sendo muito legal, pois fico pensando, que demais será para meus netos no futuro lerem sobre a experiência da VOVÓ deles em outro continente. Acho que eu iria adorar ler alguma coisa desse tipo, de alguém com um laço familiar.

Foram oito meses em que:

  • Conheci lugares que nunca imaginaria conhecer. Lindos, diferentes !! Tailândia, Macau, Huan Shang, Beijing, Chengdu, Xidi …
  •  Aprendi que Mímica é universal, engraçado e todo mundo entende.
  •  Percebi na pele que na China tem muuuitos chineses. E isso para minha fobia de gente foi um exercício e tanto.
  •  Sobrevivi ao povo escarrando o tempo todo na rua. Nunca vi um povo para ter tanto catarro!!!
  •  Defini os chineses como PECULIARES. Depois de pensar muito, achei a palavra certa.
  •  Aprendi que para não se estressar no restaurante, chegue até as 13:00 h para o almoço e até às 19:30 h para o jantar. Chinês come cedo e o Cozinheiro TAMBÉM !!
  •  Aprendi também, para não me irritar no restaurante, pedir um prato, dividir com meu marido. Pedir outro prato, dividir novamente. Aqui não existe, entrada e depois os pratos principais servidos juntos, vem cada um numa hora e na sequência que eles acham melhor.
  •  Sobrevivi às privadas chinesas (aquela com buraco no chão). Sim, porque na maior parte dos lugares, não existe outra opção, então seria aprender o esquema pra usar aquilo ou ter uma infecção urinária de tanto acúmulo.
  •  Me diverti com as intermináveis conversas nas quais eu falava um “ni hao” (Olá) e o chinês “desembestava” a continuar a conversa e eu só ficava com cara de paisagem, tentando entender o que diabos ele estava falando. O mais engraçado foi um dia em que a chinesa falava comigo em mandarim e o Paulo falava com ela em português e a conversa durou uns 10 minutos, sem ninguém entender ninguém.
  •  Apanhei com as compras de supermercado SOZINHA onde a única coisa em inglês que se ouvia era “hallo”, e era impossível comprar carne no açougue, então eu puxava a mão do açougueiro chinês e apontava o local do boi que eu queria (claro que tive que estudar os cortes das carnes do Brasil e dos Estados Unidos). Confesso que joguei muita comida fora.
  •  Sobrevivi aos mercados chineses – aqui se come quase tudo que anda, voa e rasteja. E se vende vivo mesmo, a primeira vez que vi as cobras se mexendo e o sapo me olhando não sabia se fotografava, se chorava ou se saia correndo.
  •  Conheci muitas pessoas de diversos países e por incrível que pareça, muitas super parecidas com a minha forma de vida e vários brasileiros de todas as profissões, todos sempre se ajudando.
  •  Fiz amizades que ficarão para a eternidade, como com a Jessica o Márcio e a sua filhinha Liz.
  •  Passei a cumprimentar na rua todos os ocidentais que encontrávamos. Parece que a gente se identifica.
  •  Andei muito de metrô. Pois o metrô aqui é maravilhoso. Conheço mais estações aqui em Shanghai do que em São Paulo.
  •  Me diverti com nosso motorista Frank me chamando de Madame e o Paulo de Boss.
  •  Voltei a estudar inglês. Pois essa língua salva a pele de qualquer um.
  •  Comecei a estudar mandarim, acreditando que não iria conseguir, mas minha professora fala que meu nível já é intermediário, porém continuo saindo na rua e não entendendo nada.
  •  Fiz ginástica todos os dias. Mais ou menos todos os dias 3 vezes por semana tá bom !!
  •  Acostumei que quando você chama algum serviço, tipo trocar o galão de água ou manutenção, eles vão entrar no seu apartamento a qualquer hora, você atendendo a porta ou não, então esteja vestida adequadamente.
  •  Aprendi que se der gorjeta para manicure ou no restaurante eles devolvem. Adorei essa parte.
  •  Fiquei indignada quando na fila, do nada, entra um chinês na sua frente. E ninguém reclama só você.
  •  Acostumei a atravessar a rua e olhar para todas as direções, pois vem Bike e moto por todos os lados e os carros podem virar a esquina mesmo que o farol de pedestre esteja aberto para você.
  •  Aprendi a andar na calçada e estar com o ouvido atento às bikes motorizadas buzinando na sua traseira. Aqui é permitidos moto e Bike nas calçadas.
  •  Descobri que consigo dar um jeito no controle de restrição da internet. Isso eu também aprendi que não consigo viver sem: Internet, Google, face time, whatsapp, wechat.
  •  Foi um período também que mais chorei na vida, mas também descobri que passa.
  •  Mais senti saudades e essa às vezes dói.
  •  Mais fiquei feliz em abraçar meus filhos. Abracei muito, apertei muito, sempre que pude.
  •  Toda partida no aeroporto foi muito dolorosa.
  •  Descobri que dá para viver sem falar muito. E o melhor de tudo é não entender muita coisa.
  •  Descobri aqui que Verão é Muito Quente, Inverno é muito frio. A primavera é linda e cheia de flores. O fenômeno climático monções chove pra CACETE.
  •  Tive a estima sempre em alta, porque você é parada na rua para uma foto com a mãe, o pai, a filha …, . Não tenho a menor ideia o que eles fazem com a foto.
  •  Estranhei quando alguém pergunta da onde você é e se você responde em Inglês Brazil, ninguém sabe onde fica e se você responde Bāxī (Brasil em chinês) eles falam OOOOHHH!! Não sei o que quer dizer o OOOOHHH.
  •  Descobri que ter amigos, mesmos os mais antigos, tipo as meninas do Emilie (a Claudia, a Carla, a Dani, a Monica, a Wilma, a Fau, a Márcia) e a Ana Maria (da Fei) te ajudam muito a matar a saudades e dar forças para o seu dia a dia.
  • Aprendi que a REALIDADE é mais fácil de ser enfrentada que a ANSIEDADE pelo momento futuro.

Enfim passar por tudo isso é uma experiência e tanto.

Conhecer uma cultura tão diferente da nossa e ter uma vida completamente diferente da que um dia eu imaginei é sensacional!

A vida realmente é feita de surpresas! Tente sempre tirar o melhor proveito delas.

Sair da nossa zona de conforto gera um medo danado, mas Vai com medo, Vai sem medo, Vai do jeito que der, mais Vai!

Beijos e Zài Jìan.

 

CHOQUE CULTURAL – PARTE I

CHOQUE CULTURAL – PARTE I

Nesse Post, vou falar um pouco das coisas “estranhas”, hábitos locais e algumas curiosidades, que eu vi e vivi aqui na China, durante esse pouco tempo que estou morando em Shanghai. Coloquei como Parte I, pois esse tema ainda irá continuar.

 

    • BANHEIROS: Os banheiros públicos ou em pontos turísticos como museus, restaurantes, templos, são tipo banheiro turco, ou seja, buraco no chão, onde o seu equilíbrio e bom humor é posto à prova. Não existe papel higiênico em nenhum desses banheiros, tenha sempre um na bolsa.

20170115_111214

    • VARAL: A maioria das casas, não possuem áreas de serviço; então as roupas são penduradas nas varandas, calçadas, postes nas ruas. Uma verdadeira diversão passar por baixo das sexys calçolas das chinesas !!

20170214_124337

20170214_124448

  • PIJAMAS: É mais comum do que você imagina, encontrar um morador passeando na rua de pijama, ou até mesmo no mercado do bairro. Tanto no verão quanto no inverno. A origem disso é que em algumas regiões, os banheiros eram públicos, não existiam dentro de casa; e ninguém ia trocar de roupa só para despejar o penico. Bem Bonito Isso !!!

dsc03783

pijama-em-publico

  • AS CALÇAS DOS BEBÊS: E de repente você vê um bebê com a calça rasgada e o bumbum de fora. A criançada anda com o fundilho aberto, costume antigo, hoje em dia seria ecológico, pois economiza fralda !!!

amigos-pijama-bunda-de-fora

  • É BRIGA: Eles falam alto, lembra os italianos, as vezes parece que estão brigando, mas é só um bom papo. Porém de vez em quando você vê uns sopapos, não dá para entender o que acontece, mas não é tão incomum ver uma senhora descendo a mão em alguém ou briga de casais.

 

  • ÁGUA: Ao pedir água em um restaurante, se você não especificar o tipo pelo cardápio, ela virá morna; as vezes eles colocam na mesa mesmo sem você pedir. Os chineses baseiam-se a alimentação nos preceitos da Medicina Chinesa Tradicional, entre os quais está o princípio de equilíbrio e cuidado com a temperatura do corpo.

 

  • E A CERVEJA ESTUPIDAMENTE GELADA: Esse é um conceito que não existe para os chineses, na hora de tomar uma cerveja, mesmo que esteja 40 graus lá fora. Você encontra cerveja geladinha em restaurantes internacionais.

 

  • GANBEI: Ao brindar os chineses exclamam “GANBEI”; que é o nosso “SAÚDE”; mas traduzindo literalmente significa “SECAR O COPO”. E é isso mesmo que se faz. Brindam, falam ganbei e entorna-se o copo; eis a etiqueta para a bebedeira. E eles brindam várias e várias vezes. Fui jantar com o Paulo em um restaurante aqui em Xintiandi (falo dessa região em um próximo post) e um casal chinês muito simpático, começou a puxar papo conosco e pronto !!! O homem levantou da mesa umas quinhentas vezes e vinha brindar conosco; cada pergunta que fazia a nosso respeito (eles são muito curiosos) tipo: Da onde vocês são? Respondíamos e Ganbei !!! Foi bem “interessante”. Outro detalhe importante, ao contrário do que fazemos, levantando o copo para o alto, o sinal de humildade na China é manter o copo abaixo dos demais convidados na hora do brinde. GANBEI E VIVA A BEBEDEIRA !!!

 

  • TRÂNSITO: Loucura, loucura, até hoje não entendi quem tem preferência, aí entendi que todos têm preferência, pronto a zona está montada! Mas eles se entendem. Se o farol abre para você como pedestre, cuidado! Pois os carros que viram na rua, as bicicletas motorizadas ou não, os carrinhos, todos continuam passando e eles tem a preferência, eu acho !!! Outro detalhe importante é a Buzina, se ela existe é para ser usada, certo? Todos buzinam e ninguém está nem aí. Para nós de São Paulo que estamos acostumados com nossos motoqueiros e suas buzinas infernais, aqui isso é normal, a única diferença é que você não liga para a buzina.

20170112_134022

  • PELE BRANCA: A pele mais bonita é a branca, pele bronzeada é marca de quem trabalha no campo, logo os menos favorecidos. Por isso é muito comum você ver as meninas andando de sombrinha na rua, meio Old Fashion para nós, principalmente porque as sombrinhas, são do estilo chinês, cheias de babadinhos e frufru.

 

  • BIQUINI: Raridade, elas usam short e camiseta e as vezes até vestidos para entrar no mar ou piscina. Se você vir alguma chinesa de maiô, será bem-comportado e ela com certeza é mais internacionalizada. Eles adoram um tal pai tal filho, sabe aquela coisa de vestir todo mundo igual.

20170129_102632

20170129_102800_001

20170131_142750

  • TALHERES: Os kuaizi (palitinhos em chinês), hashi é japonês; são os instrumentos oficiais na hora das refeições. Jamais os apoie na vertical, pois isso lembra os incensos que acendem em homenagem aos mortos. Eles usam pequenas colheres de cerâmicas para arroz e sopa, tipo aquelas de finger food. Nos restaurantes de culinária ocidental tem garfo e faca.

b-chinese-sp-b

  • CAFEZINHO: Não existe em restaurantes chineses, eles não têm esse costume, e nos ocidentais, esteja preparado para pagar até R$ 25,00 por um expresso. As vezes sai mais caro que a sobremesa. A maioria das cafeterias, imitam o sistema americano, aliás Starbucks você encontra em todas as esquinas.
  • BARGANHA: “Pelo amor de Deus”, quem disse que negociação é coisa de turco !!! Você nunca encontra o preço amostra, sempre ele estará escondido na peça, isso em grandes shoppings, pois nos mercados mais populares, eles vão te perguntar quanto você quer pagar. E aí começa a negociação, para se ter uma ideia, fui em um mercado que vende peças “OLIGINAIS”, só queria conhecer, não ia comprar nada; aí vi uma bolsa KATE SPADE, bem bonita, mas realmente não ia comprar; muito bem, a bolsa tinha o preço marcado de 1.400 RMB e eu só estava olhando, e falava para o chinês “ I am just looking it, I am not going to buy it now “; o chinês saiu correndo atrás de mim com a calculadora oferecendo o preço final de 120 RMB, ou seja R$ 60,00 uma KATE SPADE OLIGINAL !!! Dica seja duro na negociação !!!
  • VISITA: Eles tiram os sapatos antes de entrar na sua casa, ou colocam um pró pé; acho isso Lindo e Muito educado !! Vou adotar em casa no Brasil !! Como presente de boas-vindas, sempre uma cesta de frutas e flores. Quando chegamos aqui em Shanghai, ganhei flores do nosso motorista o Frank e no nosso apartamento tinha frutas e flores, muito delicado !!! Pêssego significa longevidade e é dado em aniversários, outra coisa estranha para nós mas Coroa de Flores é muito usado para decorar.
  • FILA : Acho que já contei em um outro post, mas fila é algo que eles não respeitam, furam mesmo. Mas você observa que os jovens estão mais conscientes sobre isso e muitas vezes você percebe que eles ficam envergonhados com a atitude dos seus pais e avós. Mas é cultural e eu ainda não sei se devo brigar ou reclamar, por enquanto acho graça e dou risada, mas acho que logo, logo vou começar a arrumar uma confusãozinha em chinês. Outro detalhe é que não existe a noção de fila única, cada guichê tem sua fila própria. Ou seja uma bagunça !!!

 

Beijos e Até a próxima curiosidade cultural