Jing’an Temple

Jing’an Temple

Na semana passada falei sobre os dois templos budistas que existem aqui em Shanghai.

Escrevi sobre o Templo do Buda de Jade – https://xinachina.com.br/2017/09/01/templo-do-buda-de-jade-%e7%8e%89%e4%bd%9b%e7%a6%85%e5%af%ba-yufo-chan-si/ e hoje vou falar sobre o outro templo aqui de Shanghai o Jing’an Temple.

O Jing’an Temple fica no nº 1686 Nanjing West Road, uma das mais movimentadas ruas de Puxi, cheia de shoppings e lojas super sofisticadas.

Está em frente ao Parque Jing’an, que possui o antigo Cemitério do Poço Borbulhante.

Jing’an Templo significa Templo da Tranquilidade e é um dos lugares da cidade mais respeitado para a veneração dos antepassados.

História do Templo: 

Fundado no período dos Três Reinos (247 d.C. ) foi reconstruído e reinaugurado em 2006. Na década de 1930 era o Templo budista mais rico de Xangai, comandado pelo influente superior e gangster Khi Vehdu.

Conta à história que ele tinha um harém de concubinas e guarda-costas russos que o acompanhavam por todo lugar carregando pastas à prova de bala.

Durante a Revolução Cultural o Templo tornou-se uma fábrica de plástico e em 1972 foi destruído por um incêndio, mas reabriu e tornou-se um dos melhores exemplos de santuário budista da cidade.

O que conhecer:

Logo em sua entrada existe uma imensa estrutura de bronze em formato de “Jarro/Torre”, onde as pessoas atiram suas moedas na tentativa de acertar a entrada mais distante, como um sinal de bons agouros. Na verdade é bem divertido!

O mais incrível é observar o contraste da arquitetura tradicional e suntuosa do Templo com os também suntuosos arranha-céus de Shanghai.

É um lugar muito procurado para rezar por sucesso financeiro. “Vou lá toda a semana!!!”

O Templo possui três salões principais: Mahavira Hall, o Hall of Heavenly Kings e o Three Sage Hall. Além de importantes relíquias, como o Sino de Bronze da Dinastia Ming e o enorme Tambor em couro de vaca.

Se você estiver visitando Shanghai no início de maio, não perca a feira do templo, que celebra o aniversário de Buda.

A feira de três dias começou durante a dinastia Qing (1644-1911), quando os moradores do vilarejo se encontravam no templo para vender artigos de artesanato e produtos agrícolas.

Como chegar:

Metro linha 2 ou linha 7.- Estação Jing’an Temple.

Você pode pegar o ônibus nº 13, 40, 830, 824, 20, 15, 37, 21 para chegar ao Templo de Jing’an.

Há também o serviço Shuttle Express fornecido desde os aeroportos até o Templo de Jing’an.

Como falei no post sobre o Buda de Jade. Em minha opinião se você visitar Shanghai e tiver tempo somente para conhecer um, opte pelo Jing’an Temple.

Zài Jiàn.

 

 

Anúncios

Templo do Buda de Jade – 玉佛禅寺 Yùfó Chán Sì.

TEMPLO DO BUDA DE JADE

Existem dois templos budistas bastante famosos para serem visitados aqui em Shanghai.

Um é o Jing’an Temple que fica em uma das ruas mais conhecidas de Shanghai e tem uma imponência maravilhosa, é o típico templo que você leva todos os amigos para conhecer e não tem erro, todos ficam de boca aberta! – vou falar sobre ele em um próximo post.

O outro é o Templo do Buda de Jade, mais afastado do burburinho e com uma atmosfera mais espiritualizada.

São dois templos budistas, porém muito diferentes entre si. O primeiro suntuoso, mais moderno, o segundo espiritual, mas antigo.

 

História do Templo do Buda de Jade

Construído em 1882 para abrigar duas estátuas de jade trazidas da Birmânia, atual Myanmar, foi nomeado Templo do Buda de Jade – Jade Buddha Temple, ou em mandarim,

玉佛禅寺 –  Yùfó Chán Sì.

Antes o templo estava localizado em outro lugar e mudou para cá em 1918.

Endereço Atual: 170 Anyuan Rd, Jing’an, China, 200060.

Durante a perseguição religiosa na Revolução Cultural imposta por Mao Tsé Tung na China (1966 – 1976), o templo permaneceu fechado, tendo sido reaberto em 1983.

Quando a Guarda Vermelha de Mao chegou para destruir o templo, os monges tinham posto uma imagem de Mao sobre as portas do templo, o que ajudou a salvar a sua estrutura.

Em 1983, o Instituto de Budismo de Shanghai foi estabelecido no templo, sob a administração da  Associação Budista de Shanghai.

Atualmente conta com quase cem monges que vivem ali e você percebe uma atividade dinâmica com seminários e eventos.

O estilo clássico da Dinastia Song (960-1279), com seus telhados com beirais arredondados e estatuetas nas pontas, estão presente em toda arquitetura do Templo.

O que faz o lugar especial é as duas estátuas principais em Jade:

É bom saber que jade símbolo da beleza e preciosidade, já valeu mais do que ouro na China.

O Buda Sentado de 1,9 metros, esculpido em um único bloco de jade branco. Acredita-se que essa estátua em jade cravejada de ágata e esmeralda é o retrato de Buda no momento de iluminação.

E o Buda Reclinado, com 96 cm, deitado sobre o lado direito com a mão direita apoiando a cabeça, o rosto calmo mostra seu estado de paz e tranquilidade quando deixou esse mundo.

No templo há também outro Buda reclinado, que tem 4 metros de comprimento e foi trazido de Singapura em 1989, assim como existem várias imagens de Buda em diferentes encarnações e quatro outras estátuas que representam os guardiões ferozes.

O templo também possui lojas de souvenires com artigos budistas e outros objetos de decoração chinesa.

É proibido tirar fotografias dentro dos templos e eu descobri isso depois de levar uma bronca em chinês!!!

(Entendi que era uma bronca).

Apesar de ser um templo mais espiritualizado, onde você vê muita gente ajoelhada e acendendo seus incensos. Para quem não tem uma ligação com o budismo a espiritualidade fica distante.

Quanto aos Budas de Jade, são bonitos de conhecer, mas na China existem Templos bem mais interessantes.

Em minha opinião se você visitar Shanghai e tiver tempo somente para conhecer um, opte pelo Jing’an Temple.

Zài Jiàn.

 

 

Mercado de Flores em Shanghai

MERCADO DE FLORES EM SHANGHAI

Conhecer o Mercado de Flores em Shanghai é uma das dicas dos grupos de brasileiros aqui na China.

Confesso que não achava que seria tudo isso, pois afinal de contas minha casa fica em Cotia/SP e essa região da Raposo Tavares tem várias pequenas chácaras de plantas, flores, vasos etc. que vendem flores lindas, além disso, sempre gostava de dar uma passada no Tatuapé Garden para ver as novidades para horta e jardim.

Enfim em meu PRÉ-CONCEITO, achava que para uma paulistana que gosta de plantas, não teria muitas novidades !!!

Esqueci apenas de um detalhe, o povo chinês nasceu no campo e tudo que se refere a trabalho manual, eles são experts. É só observar como eles escrevem.

 

O Mercado de Flores – Huāhui Shìchăng – fica em 718 Hóng jĭng Lu – Hongqiao Puxi.

São dois grandes galpões, com vários estandes de plantas, temperos (alecrim, manjericão, hortelã …), flores, produtos para jardinagem e decoração da casa e jardim, enfim tem de tudo que a gente gosta de ver.

Há também uma ala com peixes, aquários e acessórios para aquários.

A principal diferença que encontrei aqui foi a qualidade dos produtos, a diversidade de flores, a forma como eles modelam as plantas e flores e claro o preço, “Realmente se eu pudesse levaria metade das plantas para colocar na minha casa no Brasil”.

Tem cada Bonsai que a gente fica louca para comprar !! Mas Bonsai é como um bichinho de estimação, preciso ver se consigo levar para o Brasil quando eu voltar.

As orquídeas são maravilhosas, os estandes possuem refrigeração e são os únicos com portas. A última orquídea que comprei aqui floriu por quatro meses e claro se eu estivesse em casa iria replantá-las em algum tronco de árvore.

Com certeza, enquanto eu estiver aqui em Shanghai, vou voltar mais vezes no Mercado de Flores e quem sabe não estudo um jeito de levar várias plantas para o meu jardim no Brasil.

Minhas Compras !!! Zài Diàn.

 

 

 

Disney Shanghai.

Disney Shanghai.

Um dos passeios que fizemos, quando minhas sobrinhas estavam aqui na China, foi visitar o parque da Disney em Shanghai.

Isso foi em 28 de junho, na primeira semana de férias escolares aqui na China.

O Parque foi inaugurado em junho de 2016 e em junho de 2017 (um ano após a inauguração) o Break even havia sido alcançado.

Break-even é o ponto a partir do qual o investidor deixa de perder dinheiro e passa a ganhar e equilibrar o capital investido. Considera-se que nesse ponto não há ganhos nem perdas, ou seja em apenas 1 ano o investimento da Disney em Shanghai retornou !! Dá para imaginar que baita negócio !!!

É um complexo bem grande e provavelmente será maior ainda, pois atrás dos muros do complexo, se vê muitas máquinas trabalhando ativamente para ampliá-lo.

Como chegar

Nós fomos de carro, mas uma excelente alternativa é pelo metro. A Disney fica no final da linha 11 (marrom) e a estação é Disney Resort, que sai quase na entrada principal do parque. A linha 11 faz conexão com quase todas as linhas existentes.

Fora do Parque

É uma excelente opção de passeio, mesmo que você não queira entrar no parque. O complexo todo engloba: a Disneytown, um parque enorme com lago, a estação de metro, estacionamento e dois hotéis temáticos: Toy Story e o Shanghai Disneyland.

A Disneytown possui teatro, várias lojas de marcas famosas, incluindo lojas da Disney e restaurantes bem estruturados. É muito similar a Downtown Disney em Orlando e uma ótima opção de passeio para um sábado ou domingo.

Para entrar no Parque

Essa parte foi PUNK !!! Foram 2 horas cravadas de fila. 1 hora para passarmos no detector de metal e mais 1 hora para apresentarmos o ticket.

O parque abre às 08h00min horas, então ou você chega às 06h00min da manhã ou vai encontrar muuuuitos chineses na entrada. E não adianta, eles furam a fila mesmo, levam nas sacolas tudo o que você pode imaginar: comida, bebidas, chá, carrinhos de bebê, guarda chuvas, etc…..

Na hora de apresentar o ticket é outra bagunça, muitos estão com os ingressos comprados através de algum aplicativo, que não faz leitura na catraca, e a zona está formada.

Dentro do Parque

O parque ainda não é muito grande, se você conseguir entrar até às 09h00min da manhã, dá para visitar tudo.

Ele está dividido em 6 espaços temáticos: Tomorrowland, Gardens of Imaginations, Mickey Avenue, Fantasyland, Treasure Cove e Adventure Isle. 

Claro que o centro dele é o famoso Castelo das Princesas – o de Shanghai é o da Branca de Neve. Lindo Lindo !!!

 

Tem um local, “Garden of the Twelve Friends” muito legal, onde os signos chineses, estão representados pelos personagens da Disney.

É um parque com brinquedos menos radicais, mas bastante tecnológicos. A Atração Pirata do Caribe – Battle for the Sunken Treasure, é muito melhor que do parque de Orlando.

A maior adrenalina do parque fica por conta do TRON na Tomorrowland. Uma montanha russa onde o carrinho se assemelha a uma moto de corrida. Bem legal para quem gosta desse tipo de brinquedo.

Tem shows e atrações, como desfiles e espaços para tirar fotos com os personagens, como em todos os parques da Disney. Os musicais são todos em chinês. É bem legal ver a criançada cantando “Let it go” em chinês.

Dicas: 

  • Como todo parque temático, os preços das coisas não são baratos. Mas aqui é permitido entrar com comida e bebida. Então para quem tem criança, dá para levar o lanche de casa.
  • Evitem os finais de semana, feriados e férias. Nos principais brinquedos as filas giram em torno de 30 a 90 minutos em média.
  • O refrigerante do parque é Pepsi, não tem Coca Cola.
  • Existe o Fastpass, mas diferente de Orlando, você pega o seu em quiosques espalhados pelo parque.
  • Roupas e sapatos confortáveis.
  • Há carrinhos de bebê para alugar dentro do parque.
  • Esteja preparado para enfrentar uma pequena multidão na hora dos fogos e da saída do parque.
  • Os chineses furam as filas, até mesmo nos brinquedos. E só os estrangeiros reclamam.
  • Recomendo para quem vive aqui em Shanghai, mas para quem está a turismo…. , apenas se amar muito a Disney.
  • Também vale à pena baixar o aplicativo ‘Disney Resort Shanghai’, pois tem todas as informações, horários, preços, os brinquedos que estarão em manutenção, e o aplicativo vai atualizando o tempo de fila em cada brinquedo.

Foi um dia muito gostoso. Dá para brincar e sentir um pouquinho o espírito Disney.

Beijos e até o próximo local em Shanghai.

 

Shanghai – Como é essa cidade.

SHANGHAI

O que Beijing nos remete à história milenar do país, Shanghai é uma cidade do futuro.

Hoje com quase 30 milhões de habitantes (São Paulo Capital tem 12 milhões). Shanghai é dividida pelo rio Huangpu, que separa as grandes áreas de Pudong a Leste e Puxi a oeste.

Pudong onde está a Torre de Pérola. Puxi o calçadão.

Na área de Pudong estão os Arranha-Céus que são cartões-postais da cidade, a Torre de Pérola, Jinmao Tower, Shanghai World Financial Center, para citar alguns. Tenho um post somente sobre esses arranha-céus, se quiser saber mais: https://xinachina.wordpress.com/2017/01/26/os-predios-mais-altos-do-mundo/

Pudong é repleto de prédios modernos, grandes avenidas, parques e shoppings super internacionalizados.

Já Puxi resgata o passado e o período das Concessões; nessa região fica Yu Yuan Garden, para saber mais https://xinachina.wordpress.com/2017/02/28/yu-yuan-garden/, a Praça do Povo, a Nanjing Road (um enorme calçadão com milhares de lojas e shoppings), o Bund e a Concessão Francesa – post: https://xinachina.wordpress.com/2017/04/07/o-que-foram-as-concessoes-em-shanghai/.

Mas não se engane em pensar que Puxi é antiga. Toda Shanghai é muito moderna e não há pausa nas grandes construções.

Centro de Xintiandi

Situada na foz do delta do rio Yang-tse-kiang, Shanghai era uma pequena vila de pescadores e um condado secundário até meados do século XIX, quando passou a chamar atenção internacional pelo potencial econômico/comercial da região e por possuir um dos portos marítimos mais importantes e bem localizados da costa Chinesa.

As ambições britânicas por essa região levaram a Guerra do Ópio (1839-1842) entre Grã-Bretanha e China; o Tratado de Nanquim, resultado dessa guerra, permitiu que os britânicos ficassem livres para negociar em determinados portos, o que incluiu Shanghai. Uma concessão inglesa foi instalada na cidade e logo em seguida, outra francesa, japonesa e americana. A cidade floresceu como um importante centro comercial entre o oriente e o ocidente e tornou-se o centro financeiro da região Ásia-Pacífico.

 

Contudo, quando a República Popular da China foi instalada pelo Partido Comunista em 1949, a influência internacional na cidade de Shanghai declinou até 1990, quando as reformas econômicas introduzidas por Deng Xiaoping, declarando a área de Pudong como zona econômica especial, levou a cidade a um novo boom econômico e financeiro, passando a atrair novamente investimentos estrangeiros.

Atrás de Hong Kong, Shanghai é hoje a cidade mais ocidentalizada da China e lidera o processo de modernização do país. Quase um quarto das gruas do planeta está localizado nesta metrópole. E isso realmente chama muito a atenção quando você chega nessa cidade. Mas não se engane, mesmo com seus prédios moderníssimos, viadutos mirabolantes e painéis eletrônicos gigantes, Shanghai é, sobretudo, uma cidade cheia de contrastes. A arquitetura antiga e moderna pode ser notada em vários momentos.

O que conhecer em Shanghai:

Em Pudong

  • Arranha-céus – Vale a pena subir em qualquer um deles.

Em Puxi

  • Yu Yuan Garden – Cidade Velha.
  • Bund – Concessões britânicas e americanas. De dia e principalmente a Noite.
  • As duas ruas de Compras mais famosas – Nanjing Lu e Huaihai Lu.
  • Concessão Francesa – Sinan e a casa de Sun Yat-Sen (pai da nova China).
  • Xintiandi – É Lindo, ali está instalado o Local do Primeiro Congresso Nacional do Partido Comunista Chinês (entrada franca).
  • Fuxing Park.
  • People Square.
  • Museu de Shanghai.
  • Catedral católica de Xijiahui.
  • Templo Jingan.
  • Templo do Buda de Jade.
  • Templo do Confúcio. Post https://xinachina.wordpress.com/2017/03/24/quem-foi-confucio/
  • Tianzifang – Post https://xinachina.wordpress.com/2017/03/13/tianzi-fang-um-bairro-bem-chines/
  • Qibao – cidade antiga sobre as águas.

Além de tudo isso, no final de semana, os diversos parques da cidade, é invadido pelas pessoas praticando Tai Chi Chuan; treinando caligrafia, utilizando pincel e água; cantando em grupo, tocando instrumentos e dançando.

Fazer a energia Qi circular é uma regra do povo chinês, desta forma eles sempre estarão se movimentando.

Dicas de Restaurantes:

Apesar da diferença da comida chinesa para o nosso paladar, aqui você encontra de tudo, desde comida de rua, os famosos espetinhos, o INSUPORTÁVEL tofu podre (O CHEIRO FICA GRUDADO NA SUA MEMÓRIA PARA SEMPRE), mas o que não falta em Shanghai são excelentes restaurantes internacionais.

Algumas Dicas de Bons Restaurantes:

ITALIANO

  • Pane e Vino – Sinan.
  • Marzanno – Xintiandi.
  • Mercato – Bund.

BRASILEIRO

  • Latina Grill – Tongren Road.
  • Boteco – 158 JuLu Lu, near Ruijin Yi Lu.

INTERNACIONAL

  • M on the Bund – Bund.

(Na cobertura do prédio – Five on the Bund, você tem toda a vista do Bund. Necessário Reserva).

CHINESA COMIDA DE YUNNAN

  • Lost Heaven – 02 unidades em Shanghai – Xuhui no Bund.

PARA TODA HORA

  • Element Fresh – várias unidades.

RIBS

  • Outback – Xintiandi Soho
  • Fiorino – Xintiandi Soho (Esse é melhor que o Outback).

ESPANHOL

  • Las Tapas – Sinan.
  • La Bota – The Bund Docks.

ALEMÃO

  • Paulaner – Xintiandi.

COSMOPOLITAN CUISINE

  • Goga – Nº 1 Yueyang Road Shanghai – Recomendo a unidade que fica no 7ª andar.
GOGA

Quem visita a China, não pode deixar de conhecer Shanghai. Eu tive a oportunidade de vir morar aqui e confesso que essa cidade me surpreendeu. Ainda tenho muito a conhecer, pois sempre encontro algo novo mesmo nos lugares que já conhecia.

É surpreendente a capacidade de renovação e criação que os chineses tem e essa mudança é frenética.

Tenho certeza que vou escrever muitos outros post sobre Shanghai, pois tenho muito o que descobrir dessa Linda Cidade.

Zài Jiàn.

 

O que foram as Concessões em Shanghai ?

O que foram as concessões?

Nos séculos XIX e XX, alguns territórios dentro da China, foram concedidos para potências estrangeiras, e estas ocupavam e governavam esses territórios. O sistema de concessões na China, foi regulamentado pelo Tratado de Nanquim e vários outros tratados bilaterais com os países diretamente envolvidos. Esses tratados são chamados Tratados Desiguais pelos chineses, que muitas vezes foram assinados sob coação.

Em cada tratado, a China era geralmente forçada a abrir mais portas para os tratados de comércio e de mais territórios.

Em cada cidade, houve todo tipo de concessão. Geralmente as potências estrangeiras que controlavam essas concessões eram as potências ocidentais ou o Império do Japão. No entanto, cada potência estrangeira, geralmente administrava suas próprias concessões, embora ocasionalmente várias potências pudessem concordar em formar uma solução única.

Nessas concessões, aos cidadãos de cada potência estrangeira, foi dado o direito de habitar livremente, comercializar e viajar. Desenvolveram suas próprias culturas distintas do resto da China. Igrejas, casas públicas, e diversas outras instituições comerciais ocidentais surgiram nessas concessões. Ironicamente, algumas dessas concessões tiveram a arquitetura mais avançada do que a original nos seus países.

Os chineses originalmente eram considerados cidadãos de segunda classe e eram proibidos de viver dentro da maioria das concessões, existia placas onde se lia:

“ Proibida a entrada de cachorros e chineses”.

Cada concessão também possuía a sua própria força policial, e tinha diferentes jurisdições e suas leis distintas. Assim, uma atividade podia ser legal em uma concessão, mas ilegal em outra. Muitas das concessões ainda mantiveram sua própria guarnição militar e exército permanente. Forças militares e policiais do governo chinês às vezes eram presentes. Algumas forças policiais permitiam os chineses, outras não.

Nas grandes cidades como, por exemplo, Shanghai, que possuía muitas jurisdições, os criminosos poderiam cometer um crime em uma jurisdição e escapar facilmente para outra. Isto se tornou um problema, o crime florescia frequentemente, especialmente o crime organizado.

Em Shanghai as principais concessões estrangeiras foram:

  • A concessão britânica a primeira a surgir em 1845. Cobrindo uma área de 199 hectares, se fundiu em 1863 com a concessão dos Estados Unidos para formar a Concessão Internacional de Xangai. Foi ocupado em 1941 pelos japoneses após o ataque de Pearl Harbor e deixou de existir em 1943. Essa eu vou falar em outro post.

 

  • A concessão francesa de Xangai foi criada em 1849, fica em vigor até 1943. Tinha uma extensão de 66 hectares.

French Concession – Concessão Francesa.

É a mais charmosa de Shanghai.

Xintiandi – muito charmoso. O bairro e o rapaz da foto !!!

Entre as construções famosas estão à antiga residência de Sun Yat-sen. Você também pode ver muitos objetos pessoais do “pai da China moderna” em sua casa, que também possui um museu. Falo dele mais para baixo.

Há várias lojas, galerias e cafés pitorescos em toda a região. Vá em direção a Chang Le Lu para encontrar lojas especializadas em vestidos de seda tradicionais sob medida no estilo de Shanghai. Você também encontrará camisetas baratas em várias lojas, além de roupas vintage e acessórios feitos a mão. Na Huaihai Road há uma mistura de boutiques sofisticadas e lojas de departamento.

A parte central dessa faixa de compras fica próxima ao Fuxing Park, um ótimo lugar para observar os moradores locais praticando atividades ao ar livre, como o empinamento de pipa e tai chi; falo desse parque mais para baixo.

A região oferece várias opções para refeições. Dentre elas, excelentes restaurantes franceses, italianos e chineses.   É bem gostoso dar uma caminhada por essa região e explorar as ruelas e jardins.

Fuxing Park

É uma mistura da arquitetura dos parques franceses com o estilo de vida dos chineses.

O Parque Fuxing é um dos mais procurados parques de Xangai porque oferece uma pausa bem-vinda das ruas agitadas da cidade. É bem gostoso sentar em um dos bancos e observar os moradores mais velhos praticarem dança de salão, tai chi e jogarem xadrez.

No canto noroeste do parque, há uma grande estátua de bronze de Karl Marx e Friedrich Engels, os coautores de O Manifesto Comunista. Com 6,4 metros de altura, a estátua foi erigida nos anos 1980 para homenagear o 90º aniversário da morte de Engels.

Os canteiros de flores, são um espetáculo a parte, cujo paisagismo é diferente dependendo da estação.

Projetado originalmente durante a dinastia Ming como parte de uma propriedade particular, este espaço mais tarde se tornou um parque público aberto exclusivamente para os residentes franceses da cidade. Os franceses acrescentaram elementos do estilo europeu, que ainda hoje definem o espaço.

Palmeiras protegidas do frio.

É uma delícia passear por esse parque em qualquer estação do ano.

O Parque Fuxing fica aberto diariamente até o anoitecer, e a entrada é grátis.

Former Residence of Sun Yat Sen – Antiga Residência de Sun Yat Sen.

Muitos consideram Sun Yat o pai da China Moderna, pois ele planejou a derrubada da última dinastia e o estabelecimento da República.

Nos últimos anos do império, muitos intelectuais chineses reconheciam a necessidade de modernização. Ao apoiarem o movimento das Reformas de 1898 propunham a adoção da tecnologia e da educação ocidental. Diversas reformas foram postas em prática. Instalaram-se assembleias regionais eleitas, derrubando ainda mais o poder da dinastia Qing.

Em 1911 o império caiu totalmente. Sun Yat foi eleito presidente provisório, mas foi logo forçado a renunciar, quando a China passou a ser controlada por uma série de líderes militares.

De 1918 a 1925, o Sr. Sun Yat-sen e sua esposa, a Sra. Soong Ching Ling moraram na antiga residência, que foi doada por alguns chineses canadenses de origem patriótica, em apoio à revolução chinesa. Foi na antiga residência de Sun Yat-sen que ele realizou as obras-primas de renome como Doutrinas de Sun Wen, Planos de Desenvolvimento da China, etc., fez o plano de reforma dos Três Princípios do Povo (Nacionalismo, Democracia e Povo Subsistência) e apresentou as três políticas fundamentais (aliança com a Rússia soviética, cooperação com os comunistas e assistência aos movimentos operários e camponeses).

Foi também nessa residência que recebeu os representantes do Partido Comunista da China e promoveu a primeira cooperação entre os dois principais partidos da história moderna chinesa (o Partido Nacionalista e o Partido Comunista). A história conta que Mao, ainda jovem, sentou muitas vezes em sua casa para ouvir Sun Yat falar.

A residência testemunhou o seu entusiasmo e as suas contribuições para a revolução chinesa nos últimos anos deste grande homem. Após sua morte em 1925, a Sra. Soong continuou vivendo aqui até 1937, quando o exército japonês ocupou Xangai. Oito anos depois, quando a China ganhou a guerra, a Sra. Soong ofereceu-se para fornecer sua casa como o local permanente para a memória de Sun. Em 1961, a Antiga Residência de Sun Yat-sen foi listada como sendo uma das Unidades de Relíquias Culturais preservadas pelo Estado-Chave.

De acordo com as memórias da Sra. Soong, os móveis, a maioria dos quais eram usados ​​pelo casal, são exibidos onde estavam. Ao caminhar pela casa, pode-se recriar a vida dos proprietários através de cada artigo exposto, ou as facas penduradas sobre a lareira, ou as fotos na parede da sala de estar, ou os livros que revestem as estantes. As atividades do Sr. Sun Yat-sen, especialmente as dos dias em que ele viveu em Xangai, também são exibidos em materiais históricos e imagens.

“O mundo pertence a todos” é um slogan que reflete o seu ideal democrático: o direito de votar, de revogar e o poder da legislação e da retificação.

Apesar de sua antipatia pelos militares, é visto como um revolucionário que preparou o caminho para o comunismo.

Como dica para quem visitar Shanghai, a Concessão Francesa é um lugar delicioso para passear e principalmente para comer, pois aqui estão localizados alguns dos melhores restaurantes internacionais da cidade.

Até a próxima dica de Shanghai !!

Tianzi Fang um bairro bem Chinês

TIANZI FANG

Fui conhecer Tianzifang com a minha amiga e vizinha em Shanghai, Jessica e sua filhinha Liz, que por sinal fez o maior sucesso. Os chineses adoram tirar fotos das crianças ocidentais.

Tianzifang ou Tianzi Fang é uma mistura de arte e tradição que se desenvolveu a partir de uma área residencial tradicional renovada na área de Concessão francesa de Shanghai.

Tianzifang tornou-se uma importante atração turística e tem mais de 200 pequenas lojas de diversos segmentos, como cafés, bares, restaurantes, galerias de arte, lojas de artesanato, casas de design e estúdios, e até bistrôs franceses.

Em 1930 era uma região concentrada com pequenas fábricas e ruas estreitas. Aos poucos foi se tornando um lugar de artistas.

O complexo shikumen (Shikumen é um tradicional estilo de arquitetura de Shanghai que combina elementos chineses do período de 1860 e elementos Ocidentais), foi nomeado Zhicheng Fang, onde “Zhicheng” significava “realização de ambição”, enquanto “Fang” significava “bairro”.

Arquitetura Shikumen

Zhicheng Fang permaneceu um bairro residencial comum até o último trimestre do século 20, quando o aluguel barato, mais localização conveniente atraiu artistas para montar estúdios por lá.

Hoje Tianzi Fang cobre não só o ex-Zhicheng Fang, mas também outras casas adjacentes, apartamentos e edifícios industriais de vários estilos.

Em 2006, um projeto para sua demolição foi abandonado quando empresários locais e residentes, bem como um famoso artista Chen Yifei que tinha um estúdio em Tianzifang, apresentou uma proposta ao governo local para preservar a área e sua arquitetura tradicional e ambiente.

Seu desenvolvimento começou muito lentamente com os comerciantes locais, uma loja da Nova Zelândia, restaurantes japoneses, e uma casa de chá de criação no distrito.

Desde o início de 2007, jornalistas, visitantes e residentes locais começaram a visitar a área e a espalhar o sentimento sobre um bairro acolhedor que abrigava algumas lojas interessantes e criativas. Artigos adicionais na mídia local e estrangeira, como o New York Times ajudaram a aumentar a consciência desta comunidade mais antiga e incomum, que se destacou entre as áreas comerciais mais modernas e comerciais de Xangai.

Hoje possui restaurantes de cozinhas internacionais, lojas com temas interessantes e exóticos bares.

Tianzi Fang é conhecida por suas ruas estreitas e labirínticas, com uma grande quantidade de pequenas lojas de artesanatos, cafés, estúdios de moda e becos estreitos. Tornou-se um popular destino turístico em Xangai, e um exemplo de preservação da arquitetura Shikumen local.

Está em grande parte escondido das ruas vizinhas, pois cresceu a partir do interior do bloco para fora.

 

Apesar de todos os negócios que ali acontecem, a área não tem a aparência de ter sido embelezada, mantendo aquela cara de China Real, com os cabos da eletricidade ligados por cima, roupas penduradas e as unidades de ar condicionado colocadas na parte externa dos edifícios.

Transmite a sensação do antigo acolhedor. É um lugar que vale a pena conhecer em Shanghai !!

Dica:

Vá durante a semana, pois é mais vazio e você poderá apreciar tudo que esse bairro tem de melhor.

Como chegar:

Linha 9 – Desce na estação Dapuqiao, saída 3. Assim que sair da escada rolante na calçada, vire à direita.

Lane 210, Taikang Road, Shanghai.

Até o próximo lugar em Shanghai.

She Shan Uma Catedral para Nossa Senhora ! Na China ???

SHE SHAN

Existe poucas igrejas católicas na China, na verdade, por muito tempo a igreja católica foi perseguida por aqui e até hoje a indicação de bispos tem que ter o aval do governo.

As poucas igrejas que existem são simples, sem luxo e em algumas conseguimos assistir à missa em Inglês.

Por isso quando nos deparamos com uma catedral dedicada à Nossa Senhora, quisemos conhecer.

20170226_121105     20170226_123244

A colina She ou She Shan, que fica à uns 35 km de Shanghai, tem apenas 100 m de altitude. No seu topo está a catedral dedicada à Nossa Senhora da China.

Em 1850, missionários europeus ergueram uma capelinha no local e colocaram uma imagem de Nossa Senhora.

Em junho de 1870, a agitação em Tianjin levou à queima de igrejas. Os jesuítas de Xangai rezaram na estátua da Virgem e prometeram construir uma igreja em honra dela em troca de sua proteção. Posteriormente, a construção da igreja começou. A madeira foi transportada de Shanghai e a pedra foi comprada de Fujian. Todo o material teve de ser transportado para o pico à mão. A igreja foi completada dois anos depois. Esta primeira igreja estava na forma de uma cruz, e incorporou características da arquitetura chinesa e ocidental. Uma varanda foi colocada fora da porta, com dez colunas. Oito leões de pedra foram colocados diante da igreja. Em 1894, vários edifícios auxiliares foram adicionados. Estes incluíam uma capela a meio caminho da colina, um santuário para o Sagrado Coração, a Virgem Maria e São José. Quatorze Estações da Via Crucis foram construídas ao longo do caminho para a igreja.

20170226_124311_001

20170226_132925

Em 1925, a construção da igreja foi considerada inadequada. A igreja foi demolida e reconstruída e todo o projeto levou dez anos para terminar de 1925 a 1935.

Durante a Revolução Cultural, a Catedral de She Shan foi severamente danificada. Os vitrais da igreja, esculturas ao longo da Via Dolorosa, a estátua no topo do campanário e várias outras obras foram destruídas.

Na década de 1950, o bispo católico de Xangai, foi preso e preso por mais de 30 anos e o governo chinês colocou a Basílica sob o controle da Associação Católica Patriótica Chinesa e os bispos chineses não reconhecidos pelo Vaticano.

Após o fim da Revolução Cultural em 1976, o dano foi gradualmente reparado. A estátua foi substituída inicialmente com uma cruz simples do ferro, e uma nova estátua foi instalada em 2000.

20170226_123301

20170226_123510

20170226_123634

Vale a pena visitar essa bonita catedral construída no alto da colina e todo o parque que está ao seu redor. A região de She Shan também é muito próspera, com belos Condomínios residenciais e hotéis Resorts.

Existe vários caminhos que levam ao cume, um cristão, representado pela Via Crucis e um outro não cristão onde tem algumas pagodas construídas; vale a pena subir por essa e descer pela da Via Crucis.

20170226_121454

20170226_121812

20170226_121949

20170226_134803
Estação da Via Crucis

20170226_135344

No topo da colina também existe um observatório que abriga um museu e um engenhoso instrumento para medir a posição celestial das estrelas.

20170226_130543

20170226_130602

20170226_130657

É um passeio legal para fazer num dia ensolarado e se você tiver tempo em Shanghai.

ZÀI JIÀN.

 

 

Yu Yuan Garden

Yu Yuan Garden

Yuyuan Garden é um dos primeiros pontos turísticos que qualquer estrangeiro quando vem à Shanghai, vai conhecer, e não foi diferente conosco.

Porém só nas vezes seguintes que fui à Yuyuan, comecei a obsevar melhor sua beleza e entender um pouco mais sobre esse jardim; no começo a gente meio que mistura a cidade velha com as lojas com o jardim e acha que é tudo uma coisa só.

ponte
Ponte em zig zag

Yuyuan Garden foi construído em 1559 (Dinastia Ming), por Pan Yuanduan, ministro das finanças da Província de Sichuan na Dinastia Ming, para que seus pais pudessem aproveitá-lo na velhice, tem uma história de cerca de 458 anos.

Passou por grandes estragos, durante a guerra do Opium e demais invasões que ocorreram na China; por isso foi reconstruído várias vezes.

Em 1982, foi listado como uma importante unidade de proteção à relíquia.

20161018_145048_001

Abrange uma área de 20.000 metros quadrados, Yuyuan Garden pode ser dividido em seis principais partes:

Sansui Hall, Câmara Wanhua, Dianchun Hall, Huijing Hall, Yuhua Hall e Jardim Interior, sendo que cada parte tem características próprias.

O jardim é um labirinto virtual de cavernas, jardins, rochedos, caminhos, pontes e edifícios. Cada esquina que você vira tem uma nova surpresa, e uma visão totalmente diferente.

O mais impressionante nesse jardim é a engenharia e arquitetura utilizada na época, pois tudo: rochas, corredores, telhados, mobiliários, lagos etc. foram projetados e construídos nos seus mínimos detalhes.

Ele é considerado o portador da cultura tradicional chinesa, juntamente com a pintura, caligrafia e escultura.

20161018_153251
Não parece a porta da casa dos Robbits ???

O que há para ver:

Um grande jardim com nascentes e pequenas cachoeiras.

20161018_150600_001

Exuberantes corredores, rios, rochedos, pátios.

A colina de pedra – Jade Exquisite (Yu Ling Long em chinês) é o tesouro do Jardim Yu.

20161018_151745

O edifício “Yu Hua Tang”, dentro dele, é um santuário tradicional na Dinastia Ming. Todas as mesas e cadeiras são feitas de pau-rosa precioso.

Muitos artistas famosos na Dinastia Ming escreveram poemas e pintaram aqui. Por centenas de anos, há milhares de pinturas preciosas, móveis, porcelanas, etc. Todos eles são relíquias culturais de alto valor .

20161018_142920_002

20161018_142953_001

20161018_143350_001

Yu Garden recria uma bela paisagem de pagodes, pavilhões, rochedos, fontes, árvores antigas e flores preciosas.

Esculturas de dragão nas paredes e muros são bastante impressionantes, observe que o dragão curvilíneo do muro, só tem quatro patas e não cinco, pois dragão com cinco patas, apenas para o imperador.

img_0703

dragao1

É realmente um lugar incrível para ir e relaxar, quando está vazio, o que aqui na China é outra raridade !!!

A casa de Chá Huxinting, foi construída em 1784, por comerciantes de algodão. A maravilhosa ponte em ziguezague, protege a casa de chá, pois os maus espíritos não viram esquinas.

20161018_145511

Vale a pena reservar um dia inteiro apenas para explorar o jardim.

O mercado do lado de fora é algo impressionante e divertido, vendem de tudo, de souvenires a medicamentos. Você pode passar horas e horas, perambulando pelas barracas, pechinchando os preços ou olhando as coisas intrigantes.

20161018_142454_003

20170211_175111

20170211_193438

Aqui acontece também os principais festivais da China, mas esse é outro assunto. Caso queira saber sobre o Festival das Lanternas, que encerra o Ano Novo Chinês acesse: https://xinachina.wordpress.com/2017/02/13/festival-das-lanternas/

 

Até o próximo lugar em Shanghai !!!

 

Os Prédios mais altos do Mundo

 

Pudong é testemunha do poder econômico da China, que transformou um pântano em megacidades com arranha-céus com ares de Jetsons.

Alguns super edifícios para vocês conhecerem e apreciarem a vista de Shanghai do alto:

– Torre Jinmao: Lembra os pagodes (torres chinesas de 8 cantos), tem obsessão pelo número 8, são 8 sessões em 88 andares. Com 421m.

– Torre Pérola Oriental: Tem 468 m e é a própria visão do desenho dos Jetsons.  Na verdade é uma torre de TV.

– Shanghai Tower: O arranha-céu mais sustentável do mundo tem 121 andares em 632 m. Todo de vidro, conserva a temperatura e abriga vários jardins.

– Shanghai World Financial Center: A torre possui 492 m e 101 andares, é conhecido com Abridor de Garrafas, pois possui um vão no topo e sua arquitetura lembra um abridor.

 

Nessa foto abaixo eu estou em Pudong, no Shanghai World Financial Center e você pode ver a Torre Pérola e a Torre Jinmao, essa cheia de cantos. Os outros prédios são prédios normaizinhos com 40, 60 ou 80 andares !!!

 

Nessa outra foto, Torre Jinmao (Pagoda), Shangai Tower (Todo em vidro a direita do Jinmao) e o Shanghai World Financial Center – SWFC (Abridor de garrafa).

 

Como chegar: Linha 2 do metro (essa é uma das linhas mais cheias), desce em Lujiazui, saída 6.

Você estará do lado, ou melhor embaixo, de todos esses arranha-céus e pode escolher qualquer um para visitar. Eu fui no SWFC, pois o observatório no 100º andar tem chão de vidro, a entrada custa 180 RMB por pessoa, primeiro eu assisti um vídeo bem rápido e interessante sobre a construção do prédio e um comparativo entre os prédios mais altos do mundo. É bem legal.

Depois você passa por uma maquete da cidade de Shanghai, onde a iluminação da cidade vai se modificando do amanhecer ao enoitecer.

Sobe até o 95ª andar – 435 m, de lá são dois lances de escada rolante até o 97º, nessa parada você tem toda a vista da cidade, é bem legal e não dá nenhum medo de altura. Depois são mais 3 andares de elevador até o 100 º andar. Nesse ponto é o teste de vertigem de altura. As paredes de vidro são um pouco inclinadas e no chão tem várias fileiras de vidro, é bem legal!!

 

 

Olhem a Rua láaa embaixo !!!  Esse é um passeio que eu Super indico.

 

Bund Sightseeing Tunnel

 

AS CORES E O SOM VÃO MUDANDO NO PERCURSO

É um túnel com pouco mais de 600m, sob o rio Huangpu, que leva de Pudong à Puxi e vice versa.

Você percorre esse túnel através de um trenzinho de vidro, por um caminho todo psicodélico, com luzes e sons, meio trash mas engraçado.

Não é considerado meio de transporte, mas atração turística, você paga 50 RMB por percurso/pessoa.

Foi uma forma inteligente de unir transporte, turismo e lucro.

Em Puxi a entrada fica próximo a Nanjing Dong Lu e em Pudong na Binjang Dadao 2789.

Vale a pena experimentar uma vez !!